Logo da OAPAZ
Login de Acesso
Se ainda não é cadastrado para acessar informações OAPAZ, clique em REGISTRAR-SE aqui abaixo. Se já é cadastrado, digite o seu





Obrigado por se cadastrar conosco.

Entrar
Registrar-se

Contador de Visitas
Você é nosso visitante nº266598

PostHeaderIcon Pastor Marco Feliciano é eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos

O pastor Marco Feliciano (PSC-SP) foi eleito nesta quinta-feira, dia 7, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM). Acusado de racismo e homofobia, o deputado teve 11 votos de colegas que compõe a Comissão. Após a eleição, Feliciano se defendeu dizendo que sua mãe é de “matriz africana”. As informações são do portal UOL.

O político foi indicado para o cargo pela bancada de seu partido, que conta com 17 parlamentares na Câmara. A vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias será Antonia Lúcia (PSC-AC). Anteriormente, a CDHM era comandada por Domingos Dutra (PT-MA), mas o partido da presidente Dilma Rousseff optou por assumir a presidência das comissões de Constituição e Justiça e Cidadania; de Seguridade Social e Família e a de Relações Exteriores e Defesa Nacional.

Polêmico, Feliciano enfrentou protestos durante a sessão de votação, incluindo do ex-presidente Domingos Dutra, que chegou a se retirar do local. Jean Willys (PSOL-RJ) também deixou o local, assim como outros deputados. Luiza Erundina (PSB-SP) protestou afirmando que “esta não é mais uma comissão de direitos humanos”.

A indicação do pastor para a CDHM gerou protestos diversos de ativistas, que relembraram de situações polêmicas protagonizadas por Feliciano. Em 2011, ele usou o Twitter para declarar que descendentes do continente africano seriam amaldiçoados. “A maldição que Noé lança sobre seu neto, Canaã, respinga sobre o continente africano, daí a fome, pestes, doenças, guerras étnicas!”, postou o político.

Também pela rede social, Feliciano escreveu que “a podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam ao ódio, ao crime e à rejeição”. O deputado negou as acusações, afirmando não ser contra os homossexuais. “Não sou contra os gays, sou contra o ato e o casamento homossexual. Quero o lugar para poder justamente discutir isso. Vai ser debate. Vou ouvir e vou falar”, defendeu-se.

Fonte: Revista Brasileiros.

 

Artigos Relacionados:
Pastor diz que igreja precisa se empenhar na luta pela paz
“Não existe compromisso nosso, cristão, sem o empenho na luta pela paz, justiça e...
Os estragos sofridos pela igreja e pastor na indenização a irmã
Foram diversos os estragos sentidos pela igreja cearense e seu pastor, condenados pela justiça a pagar R$ 100 mil de indenização por danos...
Advogados do pastor x advogados do infrator
O Pastor e homem de Deus, Silas Malafaia e o infrator e traficante Nem tiveram seus nomes e imagens ocupando espaços na mídia esta semana. Só que...
O Pastor e sua importância na inclusão social
Muito se tem falado em inclusão social. Diversas ONGs, políticos e até empresas privadas tem se engajado nesta causa seja praticando ou...
Prorrogação de datas da turma Dezembro Direitos Humanos
HOJE É O ÚLTIMO DIA. NÃO PERCA A OPORTUNIDADE! C O M U N I C A D O Para AGENTES E DEFENSORES A ORDEM DOS AGENTES DA PAZ (OAPAZ) e o...
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Vídeos Oapaz

Vdeos_de_Aulas       

Assine nosso canal no Youtube e receba muitos vídeos nossos
Plataforma Digital OAPAZ

cadastro_plataforma_2

Quer se livrar de DÍVIDAS?
Seja Agente da OAPAZ
Procura-se_AP_-_reduz
lugcon
tricris